Os 12 Passos e as 12 Tradições de MADA

OS 12 PASSOS DE MADA

O programa de recuperação de MADA é baseado nos 12 Passos, adaptados de A.A. Os Passos ajudam na nossa recuperação.

01. Admitimos que éramos impotentes perante os relacionamentos e que tínhamos perdido
o domínio sobre nossas vidas.

02. Viemos a acreditar que um Poder Superior a nós mesmas poderia devolver-nos à
sanidade.

03. Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus, na forma em que
O concebíamos.

04. Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmas.

05. Admitimos perante Deus, perante nós mesmas e perante outro ser humano a natureza
exata de nossas falhas.

06. Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de
caráter.

07. Humildemente rogamos a Ele que nos livrasse de nossas imperfeições.

08. Fizemos uma relação de todas as pessoas a quem tínhamos prejudicado e nos
dispusemos a reparar os danos a elas causados.

09. Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas, sempre que possível,
salvo quando fazê-las significasse prejudicá-las ou a outrem.

10. Continuamos fazendo o inventário pessoal e, quando estávamos erradas, nós o
admitíamos prontamente.

11. Procuramos, através da prece e da meditação, melhorar o nosso contato consciente com
Deus, na forma em que O concebíamos, rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em
relação a nós, e forças para realizar essa vontade.

12. Tendo experimentado um despertar espiritual, graças a estes Passos, procuramos
transmitir esta mensagem às mulheres que ainda sofrem e praticar estes princípios em todas as
nossas atividades.

(Elaborados a partir dos Doze Passos de Alcoólicos Anônimos).

AS 12 TRADIÇÕES DE MADA

Assim como os Doze Passos ajudam na nossa recuperação, as Doze Tradições ajudam a manter a unidade do grupo.

01. Nosso bem-estar comum deve estar em primeiro lugar; a recuperação individual
depende da unidade de MADA.

02. Para nosso propósito de Grupo, há somente uma autoridade suprema – um Deus
amantíssimo que Se manifesta em nossa Consciência Coletiva. Nossas líderes são apenas
servidoras de confiança, não governam.

03. O único requisito para ser membro de MADA é o desejo de evitar relacionamentos
destrutivos.

04. Cada Grupo deve ser autônomo, salvo em assuntos que digam respeito a outros Grupos
ou MADA em seu conjunto.

05. Cada Grupo é animado por um único propósito primordial – o de transmitir sua
mensagem à mulher que ainda sofre.

06. Nenhum Grupo de MADA deverá jamais emprestar o nome de MADA, endossar ou
financiar qualquer sociedade ou empreendimento alheio à Irmandade, a fim de que problemas
de dinheiro, propriedade e prestígio não nos afastem do nosso objetivo primordial.

07. Todos os Grupos de MADA deverão ser totalmente autossuficientes, rejeitando
quaisquer contribuições ou doações de fora.

08. MADA deverá manter-se sempre não profissional, embora nossos centros de serviço
possam contratar funcionários especializados.

09. MADA, como tal, jamais deverá ser organizada; podemos, porém, criar Juntas ou
Comitês de serviço diretamente responsáveis perante aqueles a quem prestam serviços.

10. MADA não opina sobre questões alheias à Irmandade; portanto, o nome de MADA
jamais deverá aparecer em controvérsias públicas.

11. Nossa política de relações públicas baseia-se na atração em vez da promoção;
precisamos sempre manter o anonimato pessoal na imprensa, rádio, filmes, televisão, mídias
sociais ou outros meios públicos de comunicação.

12. O anonimato é o alicerce espiritual de todas as nossas Tradições, lembrando-nos sempre
da necessidade de colocar os princípios acima das personalidades.

(Elaboradas a partir das Doze Tradições de Alcoólicos Anônimos).